quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

O preço do amor

O preço do amor

Você Acredita que amor tem preço? Não? Então você é um felizardo.
Sabia que tem gente à beça que acredita e age de forma a manifestar que não acredita.
É verdade... Muitos não conhecem ou desconhecem a cobrança que faz por trás do eu te amo. Falam de boca cheia em afeição e carinho, mas, em compensação, na hora da onça beber água condicionam: só faço isto se você me fizer aquilo.
Engraçado, amar custa e tem preço. Ao agir desta forma cobram para dar amor. Seriam negociantes natos valorizando a própria mercadoria carnal e espiritual dentro dos relacionamentos? Ou, aprenderam a compensar a falta que sente do mesmo amor que lhe impõe suposta vantagem no decorrer da criação ao qual foi exposta? Algo típico de uma mãe desesperada a querer que seu filho seja obediente: “Come tudo se não a mamãe fica triste!”. “Se não for para cama agora mamãe não gosta mais de você!”. Se não bastasse, o pai para ver o filho vencedor propõe um acordo: “Compro um carro novo se passar no vestibular!”. “Libero o cartão de crédito se torcer pelo Corinthians!”. Assim, lá na infância começa o amor que terá preço na escola, no trabalho e no casamento. E, continua na mocidade, na fase adulta e por suposto na terceira idade. Atuam no palco da vida como se tudo isso não fossem atributos naturais para o desenvolvimento emocional humano. É um perigo condicionar méritos por equivalência.
E o valores morais como fica? Claro! Condicionado a dar e receber. O que torna a existência de muitos em martírios e sofrimentos, pois, mesmo capazes de doar não conseguem se livrar do paradigma criado em seu sistema mental. Doam cobrando não importa o que. Querem por que querem algum proveito como se o amor da oferta fosse feito na base da troca. Operam na imposição do desejo de levar vantagens para se sentirem valorizados. Abandonam o sentimento e viram meros negociadores.
Na realidade fazem o que está configurado no subconsciente. Aprenderam desta forma e agora seguem a trajetória da vida exigindo do outro o que não tem ou, porque julgam não ser querido sem retribuição. Enganadas, não encontram dentro de si a superioridade de quem ama sem importar com a permuta, fato que o libertaria para fazer toda diferença entre os que têm apreço e prazer de conviver em sociedade.
São Francisco foi sábio antes de ser santo. Jamais permitiu negar-se entre os homens para não ser negado por Deus. Preferiu amar que ser amado. A decisão por ele tomada rompeu toda crença mental impugnada por impressões tradicionais. Decisão difícil que lhe valeu a ruptura familiar para ser livre e viver de acordo com a regra do coração, priorizando desta forma o mandamento divino. Amar a Deus sobre todas as coisas. Viver a pura vontade sem conceito ou preconceito e nunca ser condicionado a cobrar por um gesto compreensivo de amor.
Amar sem pedir nada em troca é cumprir a missão do caminho espiritual. É transcender os valores carnais e se entregar para ganhar o respeito daqueles que lhe são caros. Sejam eles amantes ou amigos.

Rubens Fernandes
rubensfernandes@bol.com.br

3 comentários:

abstracionista disse...

HÁ VÁRIOS TIPOS DE AMOR.
AMAR É NÃO FAZER AO OUTRO, AQUILO QUE VOCÊ NÃO QUER QUE FAÇAM A VOCÊ.
O AMOR TEM INÚMERAS DEFINIÇÕES, A PONTO DE NÃO SER DEFINIDO.
QUANDO AMAMOS, CEDEMOS. DEPENDENDO DO TIPO DE AMOR, CLARO!
O AMOR É SENTIMENTO, COMPREENSÃO, ENTENDIMENTO, DIÁLOGO.....NÃO CABERIA AQUI DISCORRER SOBRE O MESMO.
VALOR MORAL? HUUUMMMM, PREFIRO NEM COMENTAR RSRSR
NEM TODOS OS DEDOS DAS MÃOS SÃO IGUAIS, O QUE SERIA DO CÔNCAVO SEM O CONVEXO? OU DO DIA SEM A NOITE?
O AMOR NÃO TEM PREÇO, EU ACREDITO SIM, POIS ELE NOS INDUZ E CONDUZ, É FOGO QUE ARDE SEM VER, O AMOR NÃO É SE ENVOLVER COM A PESSOA PERFEITA, POIS NÓS SOMOS IMPERFEITOS.

abstracionista disse...

CORRIGINDO:

EU ACREDITO QUE O AMOR NÃO TEM PREÇO.

ABÇ/RUBINHO

pestile disse...

Eu fico com o amor de 1Corintios 13
É o amor que tudo pode, tudo espera e tudo crê!
Tremendo!!!
Leiam e verifiquem!
Transcende a tudo e a todos!
Quem consegue chegar neste patamar,verdadeiramente é feliz!
Grande abraço Rubinho!
Marisa.